quinta-feira, 29 de junho de 2017

Queda e Quebra do Cabelo... Como distinguir e tratar?

Já todos nós passamos por algum momento destes, ou de queda ou quebra de cabelo... Mas sabes realmente distinguir os dois?
Habitualmente dizemos "estou com queda de cabelo" sempre que vemos um número incalculável de fios de cabelo na banheira, na bacia, na camisola, ou no chão. Mas será que é mesmo queda ou pode ser também quebra?

Neste post vou ajudar-te a distinguir entre queda e quebra do cabelo e o que deves fazer caso te depares com alguma destas situações.
Um post deste género deveria ter sido logo feito quando criei o Blog...na realidade fiz um, mas só sobre a queda de cabelo e ultimamente tenho reparado que muitas pessoas estão a ter dificuldades em distinguir as duas. E é muito importante saber os diferentes tipos de queda de cabelo e também saber distinguir da quebra porque influencia em MUITO na hora de tratar do cabelo.

Como distinguir entre Queda e Quebra?
A queda de cabelo é quando todo o fio de cabelo sai do couro cabeludo.
A quebra de cabelo é quando o fio de cabelo se parte.
Se olhares para o fio de cabelo que ficou na banheira, na escova, no chão...se esse fio for comprido e tiver uma bolinha branca numa das pontas é porque o fio saiu diretamente do couro cabeludo, então o que ocorreu foi uma queda do cabelo.
Se o fio de cabelo for mais pequeno que o comprimento do teu cabelo ou se vires que não há nenhuma bolinha branca na ponta do fio é porque tiveste uma quebra do fio de cabelo.

Queda de cabelo:
A queda do cabelo, quando não é em excesso, é perfeitamente normal! Um couro cabeludo saudável tem em média cerca de 120.000-150.000 fios de cabelo e cerca de 50 a 100 fios de cabelo caem todos os dias de forma normal. Isto acontece porque cada fio de cabelo tem um ciclo de crescimento e quando esse ciclo chega ao fim o fio simplesmente "morre", ou seja, acaba facilmente por cair.
Dei uma explicação mais ou menos como isto funciona no post: "Que Alimentos fazem o cabelo crescer".

O que maioritariamente influencia a queda de cabelo excessiva é essencialmente o estado do nosso organismo. A queda de cabelo pode estar relacionada com a nossa má alimentação, com desequilíbrios hormonais, com outras doenças ou causas genéticas.
Além disso, a queda de cabelo também pode estar relacionada com problemas no couro cabeludo como: a presença de fungos ou bactérias no couro cabeludo que podem estar a originar a queda ou ainda maus usos ou usos excessivos de produtos com químicos (desfrisantes ou tintas).

Quando não penteias o cabelo durante muito tempo (por exemplo quando usas tranças durante meses), podes depois perceber que quando voltas a pentear ou até mesmo só a passar a mão, uma quantidade excessiva de cabelo sai, mas não precisas de te preocupar. Lembra-te que nós perdemos entre 50 a 100 fios por dia e por isso depois de várias semanas ou meses vamos ter um acumular desses fios que já deveriam ter saído.

O que pode causar a queda de cabelo?
  • Fenómeno natural - A queda de cabelo está relacionada com o fim do ciclo de crescimento do fio de cabelo, e por isso cai naturalmente da raiz o que é perfeitamente normal. Se comparares a tua queda de cabelo de há meses atrás e como é agora, se achares que agora é excessiva então pode estar a acontecer algum dos próximos casos que vou listar a seguir...
  • Desequilíbrios hormonais - A queda de cabelo pode estar relacionada com algum tipo de desregulamento hormonal como por exemplo: baixos níveis de estrogénio (pode ter a ver com a chegada da menopausa, toma de medicamentos, certos períodos do mês, entre outros fatores...), testosterona em excesso, doenças na tiróide (hipotiroidismo ou hipertiroidismo), etc...
  • Stress, ansiedade ou estado emocional em baixo - Este tipo de queda de cabelo é chamada de alopecia areata. Surge de forma imprevisível e costuma ser caracterizada pela perda do cabelo sob a forma de manchas redondas numa ou várias zonas do cabelo. Em certas ocasiões o cabelo volta a crescer algum tempo depois, enquanto em outros casos a doença progride e ocorre uma perda total do cabelo no couro cabeludo e no corpo. Em alguns casos pode dar uma sensação de ardor ou comichão.
  • Fatores genéticos - É designada como alopecia androgenética ou calvície e está associada a fatores genéticos, mas é mais comum nos homens do que nas mulheres. 
  • Alimentação - A má alimentação e a falta de certos nutrientes no nosso organismo pode levar à queda de cabelo. As principais vitaminas que influenciam o estado do cabelo são: proteínas, ferro, biotina, ómega-3, vitamina B6, B12, ácido fólico, vitamina C, beta-caroteno e o zinco. Podes ler mais aqui sobre isto.
  • Medicamentos - A queda de cabelo devido a certos medicamentos ou devido à desregulação hormonal ou à alimentação enquadra-se na alopecia difusa. Este tipo de alopecia é a perda do cabelo de forma progressiva e generalizada, mas que não chega a calvície total. Pode-se observar uma escassez dos fios de cabelo em toda a cabeça, e o cabelo adquire um aspecto fraco e sem vida. 
  • Produtos químicos ou infecções bacterianas ou fungos - Este tipo de alopecia é a cicatricial e é a menos comum. É a calvície que se produz como resultado da má formação, dano ou destruição dos folículos pilosos. São substituídos por um tecido cicatricial permanente onde já não podem nascer pelos novos. Existem dois tipos de alopecia cicatricial: Primária (produz-se por alterações no desenvolvimento do folículo piloso, ou por alterações hereditárias); Secundária (aparece quando o folículo piloso se destrói secundariamente no decorrer de uma infecção, processo tumoral ou em processos físicos como a radioterapia ou queimaduras devido a produtos químicos). Quem sofre deste tipo de alopecia apresenta uma queda progressiva do cabelo sem motivo aparente. Pode notar-se uma vermelhidão, descamação ou sensação de ardor ou dor na zona do couro cabeludo onde se começa a perder o cabelo. 
  • Tranças, tissagens ou outros penteados muito apertados - Este tipo de alopecia chama-se alopecia traumática e submete o cabelo a forças de atrito de forma repetida ou penteados tensos como tranças ou coques, entre outros. Infelizmente, este tipo de alopecia geralmente provoca um dano irreversível, malformação ou ruptura completa da estrutura folicular. Um possível tratamento seria fazer um implante capilar.
  • Pós-parto - A queda do cabelo após a gravidez está geralmente associada a mudanças hormonais que ocorreram durante a gravidez, nomeadamente à elevação dos níveis de progesterona ou devido à carência nutricional ou mesmo pelo stress e ansiedade. Este problema pode ser minimizado com uma alimentação saudável rica em nutrientes como o zinco, ferro, ácido fólico, etc. Algumas mulheres também optam por tomar suplementos vitaminicos próprios que ajudam a diminuir a queda. 
  • Etc... 
Existem vários fatores que podem estar na origem da queda excessiva do cabelo e muitos outros tipos de alopecias. Quis dar-te uma noção e enquadramento geral para o problema, contudo a melhor forma de diagnosticares e tratares problemas de queda de cabelo é com o teu dermatologista. Nada melhor que um conselho de um médico especializado no assunto!

Como tratar?
Existem várias origens para a queda de cabelo e, infelizmente, uns tipos de queda podem ter cura e outras não.
Há alguns tratamentos naturais que ajudam a lutar contra certos tipos de queda de cabelo, mas não todos!
A alopecia difusa, a alopecia pós-parto e a alopecia traumática ainda no inicio são as mais fáceis de tratar e até podem ser bem curadas recorrendo a tratamentos naturais como por exemplo passar o Jamaican Black Castor Oil no couro cabeludo para estimular o crescimento ou então recorrer a algum tratamento com algum destes ingredientes deste post ou usar produtos como shampoos ou máscaras que combatem a queda do cabelo.
A alopecia areata, a alopecia androgenética, a alopecia cicatricial ou alopecia traumática num estado avançado, podem não ter cura. Mas atenção, antes que fiques assustado/a com esta hipótese aconselho-te mesmo a consultar um dermatologista e a expor o problema o mais rapidamente possível.



Quebra do cabelo:
A quebra do fio de cabelo não é algo natural como a queda.
Na maioria dos casos tem a ver com o desequilíbrio dos componentes constituintes de um fio de cabelo que mostram um cabelo seco e baço ou com o excesso de químicos, alisadores ou de outros utensílios que alterem a estrutura do cabelo ou gerem tensão no mesmo.

O que pode causar a quebra do cabelo?

  • Falta de nutrientes no fio de cabelo (hidratação e nutrição) - O cabelo seco tem pouca elasticidade devido à sua falta de hidratação e por isso parte-se com muita facilidade. A água e os óleos naturais são extremamente importantes para o cabelo. Para equilibrar os níveis de hidratação e nutrição deves fazer tratamentos com máscaras hidratantes/nutritivas semanalmente, fazer umectações (Greenhouse effect, Baggy Method...) e/ou a técnica Moisturize & Seal ou L.O.C./L.C.O. para reter a hidratação. 
  • Falta ou Excesso de proteínas no fio de cabelo - A falta ou o excesso de tratamentos de máscaras reconstrutoras ou de outros produtos com proteínas também podem levar à quebra dos fios. Quando o cabelo tem demasiadas proteínas o cabelo perde a elasticidade e consequentemente parte-se, quando tem falta de proteínas fica fraco, sem força e por isso também se parte. É importante que equilibres a hidratação, nutrição e as proteínas para que nenhuma fique em falta ou em excesso. Normalmente, um cabelo natural precisa de menos tratamentos reconstrutores que um cabelo com químicos, e até é bastante fácil ficares com proteínas em excesso neste caso. Atenção aos leave-in's e ao óleo de coco em excesso! O leave-in costuma conter proteínas e o óleo de coco tem componentes que "imitam" as proteínas. O teu cabelo vai dizer-te quando sente falta de algum componente, só tens que prestar atenção e ouvi-lo! Clica aqui para aprenderes a ouvir o que o teu cabelo pede.
  • Produtos químicos (tintas ou desfrisantes) - Os químicos podem deixar os fios de cabelo finos e fracos, deixando-os mais propensos a partirem-se. Daí a importância de, por exemplo, nunca re-desfrisar a parte do cabelo que já tinha sido previamente desfrisada. Lê aqui o que deves fazer antes e depois de desfrisares o cabelo para o proteger.
  • Alisadores e secadores frequentemente - Alisar demasiadas vezes o cabelo com a chapinha ou secar sempre o cabelo num modo muito quente pode levar ao enfraquecimento dos fios e às pontas espigadas. Se atualmente já não usas muito a chapinha, mas no passado costumavas usar com regularidade, podes ainda lidar com a quebra dos fios e a única forma de resolver este problema é cortar as pontas danificadas.
  • Exposição excessiva ao Sol - Os raios UV podem enfraquecer os fios de cabelo também deixando-os mais propensos a partirem-se. Antes de ires à praia ou à piscina deves usar um protetor solar para o cabelo para minimizar os danos. (Vê aqui alguns exemplos.)
  • Demasiada tensão no cabelo - Os apanhados no cabelo quando muito apertados ou escovar/pentear o cabelo com escovas ou pentes inadequadas para o cabelo africano pode gerar mais tensão que o normal e levar o cabelo a partir-se. 
  • Fazer penteados com o cabelo molhado - Quando o cabelo está molhada é quando fica mais sensível e frágil. Se manipulares muito pode ficar mais sujeito a partir-se.
  • Alimentação - A falta de vitaminas no organismo como o ferro, zinco, beta-caroteno, vitamina B12, etc. pode levar o cabelo a ficar seco, fraco e sem vida. Tem muita atenção à alimentação, ela é uma das principais influências no estado do cabelo! (Vê aqui exemplos de bons alimentos com estas vitaminas).
  • Demasiado uso de shampoos com sulfatos - Os sulfatos são um detergente barato usado na maioria dos shampoos que podem ser muito agressivos para os fios de cabelo, deixando-os fracos e frágeis. Utiliza shampoos sem sulfato ou shampoos naturais para minimizar este problema. (Vê aqui exemplos de shampoos sem sulfatos).
  • Dormir com uma almofada de tecido de algodão - As fronhas e lençóis de algodão causam muito atrito nos fios de cabelo e por isso ficam mais fracos e frágeis. O melhor é trocar a fronha ou os lençóis por uns de tecido de cetim que são mais macios e gentis. 

Como tratar?
Se não usas químicos, não usas utensílios com calor nem costumas estar exposto/a ao Sol, talvez o teu cabelo esteja a necessitar de um maior equilíbrio dos níveis de hidratação, nutrição e proteínas.
Lê aqui alguns posts que te podem ajudar neste assunto:

Se por outro lado tens o cabelo danificado devido a produtos químicos que tenhas usado (desfrisantes ou tintas), alisadores, secadores, modeladores ou excessiva exposição ao Sol, deves ler este post:
Se sofres de quebra de cabelo e não te identificas com nenhuma das categorias anteriores, talvez seja porque estás a usar penteados muito apertados, ou tens andado a fazer penteados com o cabelo molhado? Usas pentes de dentes finos ou escovas inadequadas? Tens feito uma boa alimentação? Responder a estas questões pode ajudar-te a resolver este problema.



Mensagem mais recente Mensagem antiga Página inicial

3 comentários:

  1. Hello Sandy!
    Estava ansiosa pelo novo post. Rsrsrs
    Me identifiquei em tudo o que escreveste ao respeito da quebras, exceto produtos químicos e exposição de sol. Quebras horrendas.
    Haja paciência para o meu cabelo difícil de ser hidratado e nutrido após tratamento com máscara. Sei que não é de uma semana para outra. Preciso ser paciente. 😀

    ResponderEliminar
  2. Ola sandy,eu tenho tido peladas na cabeça como se fosse alopecia mas nÃo e em grande quantidade e recentemente a parte da frente do meu cabelo quebrou ,fui á cabeleireira e ela disse que é por ter deixado de dar o desfrise mas eu já sou natural há uns 2 anos e só agora aconteceram estas peladas no couro cabeludo,será verdade o que ela disse?

    ResponderEliminar